terça-feira, 15 de julho de 2008

Luxúria

Quente
suave
carne, pele
a tua
textura.

Com a ponta dos dedos
percorro-te
descubro-te os contornos
iludo-me.

O desejo queima
dói
impele
rasgo-te a pele, a capa
as máscaras
e amo-te em carne viva
e repito
e não te largo
até ficar saciada
até que a exaustão me vença
até que em paz adormeça.

§

3 comentários:

Azelpds disse...

Poderoso, sensual e quase doentio em certos sentidos. Me like it. ;)

Sofia disse...

Thx :)

Doentio...? Ná! É instinto animal básico, em bruto, sem dourar a pílula.

Glad to please you ;)
§

Azelpds disse...

O doentio já deve vir da minha parte, que começo logo a fazer filmes na minha cabeça. :p