domingo, 15 de junho de 2008

O começo...

Num aniversário, há alguns anos atrás, a minha mãe ofereceu-me um livro. Até aqui nada de novo, vivi sempre rodeada de livros desde que me conheço como gente. Comprados, emprestados, oferecidos, achados, encontrados; nos Natais, nos aniversários, nas Páscoas, nas férias, ou só porque sim, porque naquele dia tinha que ser; por estar feliz, por me ter apaixonado, por me sentir vazia, para ocupar algum tempo, por necessitar de fugir do real à minha volta e viver no sonho do que leio.
Para marcar o começo, a minha entrada nesta nova casa, escolho uma passagem desse livro:
"What if you slept? And what if, in your sleep, you dreamed? And what if, in your dream, you went to heaven and there plucked a strange and beautiful flower? And what if, when you awoke, you had the flower in your hand? Ah, what then?"
Palavras de Coleridge, poeta romântico Inglês, do livro Le Monde de Sophie de Jostein Gaarder, Éditions du Seuil, 1995.
Obrigado, mãe. Não foi "mais um livro" e ainda hoje é um daqueles com lugar especial nas prateleiras dos livros que nos tocam mais.
§

3 comentários:

Azelpds disse...

Um dos primeiros livros que comprei (já não sei bem qual foi o primeiro mesmo), foi o de outra sofia, a Sophia de Mello Breyner. :)

Sofia disse...

Fascinante e encantadora essa Senhora; apesar de muito reservada, houve até quem a chamasse de 'snob', eu prefiro pensar que ela tinha e vivia num mundo muito só dela, à parte.

Tive o prazer de a cumprimentar algumas vezes, da última vez, já perto do fim e muito velhinha, sorriu e até quis saber mais sobre o que eu e outra amiga conversávamos. Simpática, eu achei.

Coincidência teres mencionado o nome dela, mesmo aqui ao meu lado (para além do Sr. Leo) estão três livros dela que saltaram da estante esta semana. Tudo o que ela escreveu merece ser lido e relido em várias fases da vida. São obras de génio, e os génios são imortais. Imaginário fantástico, sensibilidade muito apurada e tem um lado negro pouco comum em escritores portugueses. Sempre interessante reler, nunca interpreto da mesma forma.

Muito soninho por aqui, mas termino como comecei: Bem Vindo a Bordo, feliz pelos teus comments; Thx pelas tuas músicas e pela inspiração... provavelmente este espaço não existiria se eu não tivesse conhecido e passeado pelo teu, sempre muito bem recebida, fazes nascer sorrisos, thx.

Até à próxima
§

Azelpds disse...

É não é? Ela tem uma obra de génio realmente. Tenho aqui perto duas antologias dela que sempre me encantaram.

Em relação à inspiração, é mútua, por isso ainda bem, tal como os sorrisos. :)

Talvez vá fazer o mesmo (dormir) daqui a pouco, afinal de contas ainda nem são 4h da manhã... :p +_+